Continuando com a série FAQ Scrum, no post de hoje falaremos sobre a Sprint. Veremos o que é a Sprint, como é criada e o que é feito antes, durante e depois de uma Sprint.

Na metodologia Scrum, o processo de desenvolvimento é dividido em ciclos regulares ao longo do tempo. Sprint é cada um destes ciclos. De acordo com a definição que podemos encontrar no post Aprendendo os termos Scrum – Glossário, temos que a Sprint “Representa um ciclo de trabalho no Scrum. Esse ciclo pode ser de 2 semanas, 3 ou 4 semanas, que é o Timebox das Sprints. As Sprints devem ter sempre a mesma duração.” A cada Sprint um conjunto de requisitos é implementado, tendo como resultado um incremento do produto que está sendo desenvolvido.

Na figura abaixo temos um esquema representando a dinâmica de uma Sprint.

Antes de começar a Sprint – Planejamento

Primeiramente, antes de iniciar a Sprint, é preciso definir que histórias do Product Backlog serão implementadas no ciclo que está para ser iniciado. Para isso as histórias no Product Backlog devem estar em uma ordem de prioridade definida pelo PO e devem estar estimadas pela equipe de desenvolvimento.

Uma vez que o Product Backlog esteja priorizado e estimado, a equipe de desenvolvimento realiza uma reunião de planejamento(Planejamento 1) para selecionar as histórias que serão incluídas na Sprint de modo a acomodá-las dentro do tempo da Sprint e respeitando a priorização definida pelo PO. Este conjunto de histórias incluídas na Sprint é chamado de Sprint Backlog.

Uma vez definido o Sprint Backlog, a Sprint pode então ser iniciada! Neste momento a equipe de desenvolvimento parte para um segundo planejamento(Planejamento 2), no qual cada história é subdividida em tarefas menores a fim de se ter um maior controle sobre o desenvolvimento de cada história individualmente.

Agora é mãos à obra! Temos as histórias a serem implementadas e as tarefas a serem realizadas para a implementação de cada história.

 

Execução da Sprint

Durante a execução da Sprint, a equipe executa as tarefas para a realização das histórias seguindo a ordem de prioridade definida pelo PO. Ao longo da Sprint a equipe pode utilizar o gráfico de Burndown para ter noção se está atrasada ou adiantada em relação ao objetivo da Sprint e tomar providências se for necessário.

Diariamente a equipe de desenvolvimento se reúne para falar o que foi feito no dia anterior, quais são seus impedimentos e o que será feito no dia atual. Caso hajam impedimentos, o SM busca resolvê-lo o mais rápido possível para que a equipe possa dar prosseguimento aos trabalhos da Sprint. O SM também participa desta reunião diária se for possível.

Recomenda-se que não haja qualquer alteração no tempo da Sprint nem nas tarefas do Sprint Backlog.

 

Após a Sprint – Reunião de Revisão e Reunião de Retrospectiva

Ao final da Sprint é realizada a reunião de Revisão. Nesta reunião, a equipe apresenta as histórias implementadas na Sprint, mostrando o seu resultado para o PO. O PO então analisa a resolução de cada história junto à equipe de desenvolvimento e decide se aprova ou não cada uma delas. As histórias reprovadas retornam para o Product Backlog e ficam disponíveis para serem incluídas em uma nova Sprint. Nesta reunião, aproveitando que PO e equipe estão juntos, também podem ser discutidas histórias do Product Backlog que não tenham sido bem compreendidas pela equipe de desenvolvimento.

Após a reunião de revisão a equipe de desenvolvimento junto ao SM fazem a reunião de Retrospectiva. Nesta reunião a equipe compartilha a sua opinião e reflete sobre o que funcionou e o que não funcionou ao longo da Sprint. É feita uma discussão sobre os pontos positivos e negativos da Sprint, com o objetivo de reforçar o que foi bom e levantar soluções para o que foi ruim. Assim, a cada Sprint a equipe vai aprendendo e melhorando o seu processo de desenvolvimento.

Aproveite e dê uma passada na Universidade Scrum e assista ao vídeo sobre o Trabalho na Sprint. Até o próximo post!